Pesquisando

quarta-feira, 6 de abril de 2016

aconteceu!! os deuses estão vendo!!


Quando um tiquinho de gente chega e fala isso aí embaixo, todo o meu modo robótico autômato engenhoqueiro vai pro limbo cósmico: 

"Que chato esse tréco que você faz... Quando posso ir na  biblioteca pegar livro de novo?" 

E logo depois vem alguém que trabalha na própria biblioteca (e não tem formação na área):

"Trabalhar aqui não é fácil não! A gente faz de tudo um pouco e nunca tem tempo para fazer tudo. Eu pensei que ia ficar sossegada, mas não..."

Aí a única coisa que passa diante dos meus olhos é:


E aconteceu, eles perceberam que trabalhar em uma biblioteca escolar é sinônimo de TRABALHAR FEITO UM CONDENADO E AMAR CADA SEGUNDO DISSO!!

Palmas para essas criaturas magníficas que brilharam no meu dia. Em ênfase para o garotinho espevitado que disse a primeira frase e eu fui obrigada a concordar com ele: Aquele software de gerenciamento de acervos feito por um bando de T.I. sem noção de certa universidade católica de certo estado da região Sul é um porre, gente. Sério, pede arrego e vá endoidar com outras doooorgas, manolo.

Maaaaaaaaaaaaaas finalmente soube que o MARC tem uma lógica quando é para recuperação de informação (e não serve de powha nenhuma pra usuário final, ok?). Nice, pretty nice. Hoje vou conseguir dormir direito sabendo que pelo menos 2 pessoas perceberam que biblioteca não é bagunça, casa da Mãe Joana ou o lugar mais tranquilo da escola.