Pesquisando

domingo, 5 de janeiro de 2014

[LoLz] resumindo o Silmarillion

Quem já passou um tempo comigo sabe que apesar de ser muito fã do trabalho do Professor Tolkien - que fez aniversário de 122 anos de existência nesse dia 03/01 - não levo muito a sério o universo de Arda. CALMA LÁ BEEEEEEESHA porque é... eu não levo. Sim, pode acender as fogueiras, iluminar as tochas, pegar os ancinhos e as foices, camponeses, quando ao assunto é levar a sério universos inteiros medievais o Lolz sempre prevalecerá.

*sons raivosos de tradicionalistas Tolkiendili everywhere*

Ser herege nesse ponto (E ainda mais com a pessoa que mais me inspirou a escrever nesse mundo) me faz ter coragem de praticar certas heresias. Não, não há detrimento do material original, amo as obras do Professor, mais do que tudo que já li - e Silmarillion é a minha Personal Bible, se tou com a mente confusa e as ideias erradas na cuca recorro a ela e não ao livro mais vendido no mundo.

Razões para zoar com algo que respeito, amo e tenho condições de dizer: "É, esse livro mudou a minha vida"? Sei lá. A vida já é difícil aqui no mundo real e lá nos livros também, por que não fazer piadinha infame pra melhorar um pouco o humor?
(RU feckin' srs?! Silmarillion é tragédia grega de começo ao fim! Nada de final feliz! Senhor dos Anéis também não é lindo e às mil maravilhas e tenho as desconfianças que O Hobbit deu uma atenuada na melancolia com narrativa infanto-juvenil, mas mesmo assim? Matar o dragão, ganhar o tesouro e voltar são e salvo pra casa não deixou o Bilbo feliz, feliz mesmo de felicidade alcançada.)

Então fazer o Lolz em Arda é um mecanismo de defesa para não entrar em comatose melancólica pela seriedade da vida, Universo e tudo mais ali contida. Algumas obras de Tolkien foram escritas em circunstâncias dolorosas, outras em uma profusão literária para que ele nunca conseguisse de fato juntar tudo e publicar (imagina ter um universo tão vasto e escrever por décadas, mas não conseguir compilar?! É frustrante!) - O Silmarillion na verdade é um grande caderno de rascunho que o filho dele fez o favor de tentar decifrar e colocar em ordem e mesmo assim... bem... é confuso. Rir é melhor que chorar gente, então aproveitem o Lolz enquanto ele é feito com a proposta de tirar sorrisos e gargalhadas boas (E por que não aguçar a curiosidade das pessoas sobre?) ao invés de denegrir o assunto tratado.

Tá, tou enrolando demais. A ideia veio de um post no Facebook sobre resumir O Silmarillion em um vídeo de 7 minutos e aí veio o Vanderlei dar a ideia errada e saiu esse trem aí. Essa sou eu tentando resumir o livro mais awesome do Professor de forma bem didática pra garotada:




Música clássica. Entra rave.
Não, é música clássica! Rave, de novo.

Oh Melkor, meu filho: música clássica!

*tira o walkman do menino*

Luz eeeeeh altas luz \o/ Árvores que fazem luz! Duas, altas árvores. Legal.
Brilhinhu. Vários. Os brilhinhu, teimosia, cabeça oca é oficina de Fëanor.

O guri do walkman quer mais rave (Mas não tem DJ, chama o MC Ungoliant pra cuidar disso, vai na fé DJ!), aí vê as árvores, os brilhinhu e o cabeça oca teimoso.

RAVE!!
Mais rave ainda (Mas com música diferente, porque MC Ungoliant encheu os canecos e Fëanor não sabia tocar o batidão, tundz-tundz-tun).
Mais rave entre irmãos, rave nos portos, rave nos barquinhos. Pura rave.
Melkor ganhou nome nas ruas: Morgoth, coitadinho. Só porque queria rave na música original.
Ninguém o entende.

BALROG COM ASA!!
Rave do Fëanor acabou (Agora vai ter que aguentar seresta fúnebre lá em Mandos, olalá), galera que tentar fazer a festa continuar, necas. Morgoth ganha as paradas de sucesso, altos festão, mais rave. Auto-falantes enormes dolby surround sound Angband Style.
Fingolfin gostava de Folk Metal, não era chegado nas batidas eletrônicas, chamou pra conversar, chão, chão, chão, chão até o chão. Ficou por lá.

Mais outro pro seresteiro fúnebre do Irmo cuidar (Ou não, acho que ele não tá nem aí com os noldorin).

Mais rave, Morgoth tá se especializando na discotecagem, tá tudo dando certo, aí vem a geração mais novinha, aqueles que usa IPod, IPhone, AiIsso AiAquilo. Geração que aprende rápido, erro e tentativa, morre mais rápido também, mas tá aí, entrando com tudo nas paradinhas, trazendo som novo.
Morro de Gondolin é ruim de invadir!
Morgoth não vai conseguir emplacar mais raves de sucesso de novo.

TENSO!
Mais rave, com 4, 5, 6 ambientes. Muito confuso.
Aí resolvem fazer remix com a música clássica lá de início. Ferrou.
A geração do batidão ganhou. Guri do walkman tem que se aposentar, porque meteu os pés pelas mãos, mas vira lenda.

E os balrogs não têm mais asa.

SOLTA A FITA DJ!!
"ERA SÓ MAIS UM SILVA QUE EÄRENDIL BRILHA, ELE ERA FUNKEIRO, MAS TAMBÉM PAI DE FAMÍLIA..."

Pronto, acabou.
Vira o disco, tem mais. Tem a dança do Anel agora.

Não entendeu nada? Tudo bem, #LokiApproves esse post, não preciso de mais nada.