Pesquisando

sábado, 14 de janeiro de 2012

Mundo das Trevas no Universo Potteriano

[originalmente postado em 30/04/11 18:05]

Assistir As Relíquias da Morte parte 1 me fez um bem danado.
Tive tantos sonhos absurdos em Hogwarts que jamais teria coragem de relatar aqui – coisas nada a ver podem ser perigosas se analisadas freudianamente – mas realmente esclarecedoras! Por exemplo: A personagem Anna Danwells “Doida de Pedra” Rowan que faz uma aparição pisque-e-perca em The Scientist está morta de acordo com um dos sonhos. E era pra ela viver mais tempo que qualquer um ali só para constar. A Annabelle Dantê se juntou a uma guerrilha obscura no Leste Europeu que faz justiça com as próprias mãos e Rita Skeeter virou apresentadora de talk show ao vivo em rádio bruxa oriunda do Profeta Diário. Sério! Pergunta pro meu subconsciente que ele vai responder que sim!

Como saber disso tudo sem fazer parte do contexto sonhado? Bem, vamos dizer que eu estava de bico na maior parte dos acontecimentos. Eu, eu mesma, não disfarçada de bruxa ou com nenhum adereço ou aparato mágico. Uma n0obie entre os bruxos, quase uma intrusa por assim dizer. Foi frustrante? Um pouco, mas bem mais divertido ao exclamar repetidamente que qualquer coisa que acontecia era porque alguém havia mexido no código da Matrix xDDD

A única coisa que me incomodou em todo o complexo sonho feito em consonância com a minha vontade linda de NÃO acordar foi o de acordar o tempo TODO praticamente quando algo de interessante iria acontecer. Era como assistir filme com o dedo no Pause o tempo todo. Uma das perguntas feitas foi:



- Então quer dizer que vocês são Verbenna, é? Que saco! – eu em minha comparação idiotinha com os ritualistas wiccans do Mundo das Trevas. Só que fui precipitada na conclusão, já que os Magos Potterianos estão mais para Herméticos que os safadenhos dos Verbenna.

Eu tenho uma cisma enorme com eles tá? Não tenho culpa de sempre pegá-los para comparar com outras coisas…

Então são Herméticos, certo? Com fetiche por varinhas – não o fetiche que você pensou, seu(ua) pervo(a)! É que qualquer objeto que sirva de canalisador de poderes mágicos em Mago a Ascensão se chama fetiche. Não me pergunte o porquê – e tem familiares como ajudantes (Vide corujas, ratos, gatos e outros bichos). Por sempre precisarem usar a “fórmula” de fazer encantamentos dizendo palavras de poder (Ou não se você for phoda como a beeeesha do Snape) ou fazendo movimentos com a varinha, estão presos as regras de Mágika dos Herméticos – teoremas, equações intermináveis, muita matemática envolvida e pouca imaginação nas paradas.

Okay, Magos Potterianos, quero dizer os magos produzidos em Hogwarts e outras escolas de magia – se os de Beauxbatons forem Cultistas do Extase pode vir que eu aceito na booooa! – mais o povo que aparece nos livros/filmes. Já os Comensais da Morte (Bloco antecipado de beeeeshas muito orgulhosas de si mesmas) são outra história. O palpite seria Eutanatos pelas vestimentas estilosas e de cor escura, um gosto duvidoso por cemitérios e coisas mortas, mas a filosofia “te mato para renovar a roda da fortuna da vida, já que você está desperdiçando a sua demais” não é seguida pelos Comensais. Na verdade nem sei o que os Comensais querem da vida.

Seguir o cara sem nariz Vovô Voldie? É, pode ser, mas não tem algo sólido na estrutura do clubinho. Supremacia bruxa? Extermínio de trouxas? Fazer com a Magia prevaleça acima da Razão? Vingança particular de líder mentalmente e socialmente desestruturado?





É pelo laquê, kalikalón e o picuman? Lucius Malfoy dirá que sim. É pelo derramamento de sangue e a curtição da caçada? Bellatrix Lestrange dirá sim, sim, é isso mesmo! É pelo terror e medo? Rabicho dirá é deve ser…

Após a Ordem de Fênix senti que o foco do papel do Voldemort na trama era apenas se tornar o treinador de pokemon mais poderoso do mundo – o Ash faz isso faz mais de 10 e ainda não conseguiu, Vovô Voldie… E sim, isso foi uma metáfora bem esdrúxula para o objetivo igualmente fraco do vilão da série – e fazer o Potter virar presunto. Ah e a incrível idéia de “purificar” o Mundo da Magia dos Trouxas e meio-quase-lá-bruxos, isso é tão III Reich que se eu disser que Voldemort gosta de de açúcar, a maioria das pessoas não irá comer mais açúcar pro resto de suas vidasvide o porquê de não termos mais adolfos por aí.>

Toda a profundidade printada no diário de Riddle n’A Câmara Secreta e o renascimento calderístico em O Cálice de Fogo foi perdida com a premissa de tragédia grega seguida pela tia Rowling.

Porque todo mundo sabe que o herói vai sofrer pacas, mas vai vencer. E o vilão vai se ferrar de maneira épica. Se fosse novela mexicana, alguém ficaria louco, outro ficaria preso forévis e o mais piorzinho morreria horrendamente no último episódio. E rolaria beijo de felizes para sempre do casalzinho protagonista.

Eutanatos. Okay, Comensais da Morte como Eutanatos, apesar de achar que eles tão mais para Tecnocracia magicalizada do que Magos das Tradições. Ou algo fora da esfera Mágika como um bando bem organizado do Sabá – Voldemort como um Tzimisce, Bellatrix como uma Seguidora de Set, Lucius Malfoy como um LaSombra e o resto como Giovannis.

O raciocínio comparativo veio até aqui. Vou agora para a Maratona Clémence Poésy – caso não saiba, ela é a Fleur Delacour nos filmes – com o restante dos filmes que ainda preciso ver…




Aquele que não deve ser Nomeado/Shippado: Bella… O que eles estão fazendo?
Bellatrix: Creio que estejam lendo fanfics de Snape/Harry, milorde…
Aquele que não deve ser Nomeado/Shippado: Mas que diabos…?! Que pouca vergonha é essa?!
Lucius: *pensa* Se souberem as minhas com o Snape…
Figurante ali atrás: Damn! Fui eu que escrevi essa fic!! Se souberem, tou morto!